segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Das coisas que a gente gosta e de seguir adiante.

Hoje tirei pra arrumar gavetas,
E, veja só: te achei!
Achei fitinhas, bilhetinhos, babados, sianinha.
Disseram-me uma vez que tem coisa que é que nem mato...
Só cresce.
Vou torcer pra ser flor,
Pra ver se um dia,
De novo,
Floresce.

4 comentários:

Flávia Guilherme disse...

Lindo. Linda.

Karol Gonçalves disse...

Poeminha! Fofo!

disse...

HAHA quelindo.
não só isso, tudo tudo.
adorei aqui *-*

Jaya Magalhães disse...

Eu não tenho mais gavetas. Só uma caixinha. As flores secaram, mas algumas letras lá dentro só fazem germinar.

Meu Deus, que venha setembro e a primavera, já!

Beijo, Annanda.

[Às vezes eu venho aqui, você vai lá, e eu não sei. Te sinto meio vizinha de mim, do outro lado da rua. Te sinto perto].