quinta-feira, 20 de agosto de 2009

O que não é porque não foi.

"Às vezes o nunca mais não é exagero, é certeza. Não tem palavra. Não tem alívio pro vazio, principalmente pro vazio deixado por quem aliviava o caos do mundo. Quanto sentimento por um bichinho genioso."

-Bruna Demaison- confiram:www.seumartin.blogspot.com



Não pensei na impessoalidade,
Aconteceu.
Cinco minutos,
Diminutos,
De minutos eu guardo os bonitos.
Foram horas e acontecem lá, lá.

A voz é a mesma,
Incrível de se acreditar.
Ainda tens voz, mesmo que ela não tenha dito o que era preciso.
Sem ouvir o resto, não sobrou nada.
Desliguei você,
Quem ia não liga.
Quem ia não foi.

O que poderia ser contado?
O que se conta?
Quem você era deixou um vão ainda sem medição.
O mestre de obras tem prazo pra entregar o peito intacto.
Já preparei a massa e comprei a tinta.
Amanhã...Peito tapado!
Rosto lavado,
Cabelo limpo,
E, jogo-me inteira na cor que escolhi.
A obra foi grande.
Tenho me sentido inteira sem esse pedaço.

Um comentário:

lubemvindo19 disse...

Comentário: Sem palavras! já disse tudo!