sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Assim menino.

Não me diga!
De novo, o que nunca foi capaz de dizer.
Não faça!
De novo, o que você sequer tentou.
Queria muito ser ainda,
Assim,
Pode conferir meus pequenos pedaços,
Minhas enormes partes...
Não restou muita coisa daquilo...Assim.
E, disso...
Ahhh! que saudade da poesia!
De história falsa, enredo fraco,
Mas métrica perfeita!
Sinfônica em desencontro!
Harmoniosa difusão descontrolada
De cousas inomináveis,
Pelo ser homem,
E, algumas mulheres.
E, tuas mulheres.
Eu seria capaz, há tempos atrás,
De inventar palavras que ainda não existem, para fazer todo um mundo entender o que descobrira.
As palavras que eu nunca inventei ficaram em algum lugar do caminho.
Se perderam de mim.
Teriam se ganhado de você se eu as quisesse?
Teriam ganhado você?
Se eu assim quisesse?
Se eu assim quis.
Assim foi de mim.
Fica aqui parte de Assim.
Assim, menino caprichoso esse...
Quer o que sempre tivera, Assim quando não tem mais.
Dizem que assim tudo passa...
Dizem a Assim:-Tudo passa!

3 comentários:

Petite Princesse disse...

=X

Karol Gonçalves disse...

Roteiro é fundamental,é fraco não pode!Roteiro engasgado tb não...assim!
"Eu seria capaz, há tempos atrás,
De inventar palavras que ainda não existem, para fazer todo um mundo entender o que descobrira."
Assim,minha frase preferida!
bj
bj

Era uma vez...... disse...

Eu gostei!!!!!
mesm, mesmo!!!