terça-feira, 13 de julho de 2010

I'll be there for you



'Cause you're there for me too"

Minha amiga casou.
Até aí tudo bem. Mas, eu não sei se vocês tem uma Ana na vida de vocês.
A minha sempre esteve.
Reza a lenda e contam nossas mães que nos conhecemos aos seis meses de idade. Tomando sol no pátio do prédio onde morávamos. Ana já era minha amiga sem que eu precisasse escolher, me apresentar, perguntar onde ela morava ou coisas assim.
Ana já era.
Toda a nossa infância foi como unha e carne ou Barbie e Ken, ou corda e caçamba. Dessas coisas que andam juntas mais por serem mesmo. A casa dela era a melhor de brincar, e por dias ficava montada a nossa cabaninha no meio da sala. (Tia Valéria sempre teve vocação pra samaritana.rs)
Quando ela mudou do prédio ficamos arrasadas. Mas, como estudávamos no mesmo colégio não foi um grande problema. Não éramos da mesma turma e quem saísse primeiro ia buscar a outra na porta da sala. E, era assim. Se Ana não estivesse na minha porta, eu certamente estaria na porta dela.
Foi a vida toda, é a vida toda. As primeiras festas, os primeiros porres, a primeira a descobrir a utilidade do absorvente ( e contar pra outra sussurrando desolada), o primeiro beijo, a primeira desilusão. A primeira amiga.
Lá pelos 5 anos, reza a lenda e contam nossas mães... Inventamos que iríamos juntas morar em Niterói quando crescêssemos. Sabe lá onde ouvimos isso. Fizemos vestibulares... Me inscrevi pra outra cidade. Deu um problema no convênio da Universidade, ou era só a vida que quis a gente junta. Ela passou pra UFF, eu passei pra UFF. Vimos o resultado juntas. Ela me ligou pra contar que eu iria pra Niterói, eu iria dividir a beliche com ela.
Dividimos mesmo.

Noites conversando até cansar ou a voz faltar.
Festinhas no apartamento bem estilo sonho, filme americano ou o que duas garotinhas do alto de seus 5 anos ante viram um dia.
Eu chegava na hora que ela saia pro trabalho e, talvez por isso, a gente se ame tanto.
A gente nunca brigou. Nunca. Nem discussão, nada. E, nosso silêncio diz mais que horas de conversa. A gente sabe o que se passa com a outra só de ver. E, dá um abraço aqui e pronto. É nosso jeito de dizer “tá tudo bem”.
A Ana não lava macarrão, eu lavo.
Eu lavo lingüiça com detergente e ela fica possessa.

Ela deixa calcinha no Box e isso me mata.
Nos 15 anos dela teve valsa e troca de vestido, no meu churrasco me jogaram na piscina.
Enquanto ela me ligava pra contar do noivo eu tentava lembrar do nome do cara que eu fiquei.
A Ana casou e eu vou embora. (Mas eu quero casar! Veja lá!rs)
Em comum temos a tal coragem, o tal passado, o presente, a tal verdade, o amor e muito futuro. Tem futuro até onde tem passado, até onde é presente.
Adiei em seis meses meus planos pra ver o que se deu ontem. Pra assistir ela se dar a alguém, e é pra vida toda.
Valeu a pena sentir meu coração saindo pela boca.

Valeu a pena estar no altar e ser testemunha, ser madrinha.
Um pedaço meu casou, comprou fogão e numa hora dessas tá sonhando com o nome dos filhos e todas as coisas simples e gostosas que devem ter na vida de quem fica junto.
O filminho que passou na minha cabeça e os risos líquidos que saíram dos olhos são a minha certeza de que amor, amor existe.

Amor pesa e é leve. Amor enche.
Amor é desejar pra ela o que desejaria pra mim, só que do jeito dela.
Só que na hora certa e não atrasado.

Só que sem rompantes ou extremos.
Ana é meu equilíbrio, meu pedaço de terra firme.
É pra quem eu digo “vai” e ela vai, mas, que sempre, e sempre mesmo,
Fica.


ps.: Essa foto está péssima. Mas, é a mais linda. Não, não vou contar que eu forrei a tábua, abaixei a calcinha, segurei a saia e a noiva pra ela "se recuperar".Nem se me torturarem eu conto!

12 comentários:

Lorena Braga disse...

Nossaaa q lindo!!!!! Sempre muito inspirada!!! Sorte das pessoas que estão sempre ao seu lado... sorte minha!!

Fabrício Jesus disse...

E Sorte minha de poder te seguir e tb ler seu blog! Texto incrível... E nada tira do meu rosto essa cara de "babaca" pensando: Meu! A Ana casou!?!?! Aquela menininha q foi meu par na dança cigana da terceira série! ...rs O tempo voa! Felicidades pra ela! Felicidade pra nós!!! Bjão Annanda!

Karla disse...

ahhhhhhhhhh chorando aqui...vc não para com essa mania, né?

lindaaa!
mtos bjos

Rúbia disse...

que lindo.

Flávia Guilherme disse...

Lindo.
Tenho também uma amiga de muito tempo que amo muito também...nos conhecemos só no olhar.
Isso é, para mim, umas das coisas mais válidas deste mundo.
E sobre o texto no meu Blog, ele é uma música do Ivan Lins.Linda demais...
Aliás, linda você.
Beijos muitos.

Jaya Magalhães disse...

Annanda, Annanda...

Eu estou aqui chorando. Tenho duas Anas na minha vida. Uma de nome Mônica e outra de nome Emanuella. Isso quer dizer que eu entendo. Entendo? Eu SINTO. Eu senti tudo o que tuas letras disseram, tão maravilhosamente. Acompanhei vocês, hoje, e me senti como quem acompanhou a vida inteira. E quis mais.

Quero mais, porque ainda virão histórias e mais histórias. E eu já nem sei o que dizer, a não ser desejar que sejam, ambas, felizes. Muito felizes.

Meu Deus, que coisa linda!

Parabéns! A você, a ela.

Viva o amor.

Um abraço apertadão nocê!

P.S.: Amei o PS! Haha.

Juliana Leite disse...

"O filminho que passou na minha cabeça e os risos líquidos que saíram dos olhos...."
Essa foi a melhor frase de todos os tempos!
pequerrucha, risos lí-qui-dos!?!
lindo!

Lily disse...

Fiz uma pausa entre o ler e comentar, sabe? Pra sentir um pouquinho desse amor amigo que você transbordou em palavras. É coisa de alma, né?!
Tenho duas Anas, não estavam sempre lá desde o início da vida, mas estiveram desde que passaram a existir em mim.
Primeira vez aqui, e me deparo de cara com um texto tão lindo, falando sobre um dos sentimentos que mais valorizo, a amizade. Lindo!
Um beijo grande =*

Lily disse...

E ah, já ia me esquecendo, tô seguindo, claro :)

Lily disse...

Peraí de novo, tava te lendo mais um pouquinho e descobri que vc fez moda.
Uma frase me chamou atenção "Orientações do Zé e encontros no Giga"
Onde vc estudou? Hehe
Tbm me formei em moda, e "Zé" tem aos momtes por aí, mas "Zé e giga" me chamaram atenção, rs
Beijo

Ana Baratta disse...

Amiga! Enfim, tenho e internet em csa e posso comentar!!!! Ehhhh
Pena que não foi o comentário emocionado da primeira vez que li... ):
Mas ai vai:
Lindo, adorei! Chorei! Não preciso nem dizer que todo carinho, amor, amizade é recíproco... Vc tem uma Ana e eu tenho uma Annanda na minha vida.
Só tenho uma pergunta: Qual é o tamanho dos bonequinhos? hahahah

Beijossss

Pipa. Agora eu era o herói. disse...

"O amor não pesa é leve"


Foi a coisa mais sensata que já li.


Lindo demais.

Beijo meu.