quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Prega Peça.

Posso te contar?
Eu até posso te contar.
Sobre onde pisar.
Sobre como o sol incidiu.

Sobre aquela varanda.
De baixo da nossa pressa.
De não querer mais estar.
Posso te contar.

Sobre não querer mais ser.
Sobre quem descobre quem é.
Quando acha que deixou ser.
De ser quando é.

O balanço é leve.
Numa tentativa de respirar o que rodeia.
O que nunca foi.
O que sempre vai.

Volta pra me contar sobre o que escrevo.
E, se puder, me explicar que se sente...
Posso contar?

4 comentários:

Era uma vez...... disse...

conta!!!
conta mesmo!!!
conta como se encontrou...como se achou!!!
e me ensina a me achar tbm.....ai eu te conto como se perder!!!

Flávia Guilherme disse...

Eu te conto...mas só no nosso encontro.
Beijo, meu bem.

Camila disse...

Passando, com algum atraso, sorry, para dizer que gostei muito daqui tb... Vou te adicionar ao Belas Coisas Simples.

:)

Karol Gonçalves disse...

"O balanço é leve.
Numa tentativa de respirar o que rodeia.
O que nunca foi.
O que sempre vai"


Fiquei sem fôlego!
belíssimo!
vou salvar aqui e cita-la qualquer dia!